Política
Publicada em 02/10/17 as 14:15h - 20 visualizações
Marcos Michels entrega abaixo-assinado com 30 mil inscritos para Secretário de Segurança Pública

Montero Netto


 (Foto: Divulgação)

Após um intenso trabalho em terminais de ônibus, Unidades Básica de Saúde (UBS), centros comerciais, associações de bairro, além de escolas estaduais e municipais, o presidente da Câmara de Diadema, vereador Marcos Michels (PSB) conseguiu adesão de cerca de 30 mil inscritos em um abaixo-assinado. No documento, entregue este mês, em mãos, ao Secretário de Segurança Pública do Estado, Mágino Alves Barbosa Filho, foi pedido uma Companhia da Polícia Miliar, que seria a 4º CIA, além de um efetivo maior de policiais militares e civis.

De acordo com o vereador Marcos Michels era preciso entregar esse volume de 30 mil assinaturas do abaixo-assinado para mostrar ao Secretário que este é um pedido da população de Diadema e não apenas do vereador. "Eu poderia ter feito um ofício e encaminhado à secretaria, mas seria mais um entre tantos que o governo do Estado recebe", explicou. "Mas, essas 30 mil assinaturas mostraram ao secretário que o assunto é sério e precisa da atenção do Estado", ressaltou. "A população está tão ansiosa para ser atendida nessa solicitação que se eu tivesse mais tempo, antes de encontrar o secretário, teria conseguido ao menos 100 mil assinaturas", completou.

E a preocupação do presidente da Câmara, se justifica. Um estudo divulgado em julho pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) em parceria com o Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP), mostrou que Diadema é a cidade mais violenta do Grande ABC. As informações, que contam no Atlas da Violência 2017, consideram números de 2005 a 2015.  O índice que junta homicídios e mortes violentas com causa indeterminada no município é de 22,8 para cada 100 mil habitantes, a maior entre as sete cidades.

Números como esse, aliada à falta de segurança no entorno das escolas fizeram com que pais, professores, diretores de escolas, a comunidade em geral, e ainda a Guarda Civil Municipal (GCM), e as polícias Militar e Civil, além dos vereadores realizassem inúmeras reuniões para discutir soluções para o problema. "Reivindicamos também monitoramento por câmeras nas ruas e avenidas, atuação forte contra os pancadões e policiamento ostensivo em torno das escolas, reforço no policiamento em horários de pico, além da implantação de videomonitoramento nas divisas da cidade com o sistema Detecta", completou.

Segundo Marcos Michels, o próximo passo agora e continuar dialogando com o governo do Estado para que as reivindicações sejam atendidas em benefício da população de Diadema. "É mais do que uma necessidade, é uma forma de proteção da família e dos cidadãos diademenses", enfatizou. 




Deixe seu comentário!

ATENÇÃO: Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

Parceiros
Jornal Divulgação Exata - (11) 2897-5833 - redacao@jornalexata.com.br
Copyright (c) 2017 - Jornal Divulgação Exata - Todos os direitos reservados