Política
Publicada em 21/09/17 as 09:55h - 145 visualizações
Coletiva da secretária de Saúde de Paulo Serra explica Qualisaúde em tom político
Dra. Ana Paula garante que oposição terá que se desculpar sobre críticas

Montero Netto


 (Foto: Divulgação )

Com um tom fortemente político e orientação de marketing positivo, na defesa do Projeto Qualisaúde, menina dos olhos da administração do prefeito de Santo André Paulo Serra (PSDB), a secretária de Saúde, Dra. Ana Paula Peña Dias, concedeu entrevista coletiva a imprensa na tarde desta quarta-feira (20), no 9o andar da Prefeitura. A gestora teve ao seu lado um time de peso formado pelo secretário de Manutenção e Serviços Urbanos, o vice-prefeito, Luiz Zacarias e seu Adjunto, Vitor Mazzeti; o secretário de Inovação e Administração, Fernando Gomes, como seu adjunto, Pedro Seno; e o Adjunto da Saúde, Ricardo Ferreira.

Durante o encontro, que durou cerca de duas horas, Ana Paula falou sobre os pilares em que estão baseados o programa que tem gerado polêmicas; o fechamento de sete unidades de Saúde na cidade para obras de reforma dos espaços; a defesa política do prefeito e sua Administração; a reafirmação da transparência da gestão Paulo Serra e um pedido a oposição de "nos deixem trabalhar" mostrando claramente o desconforto que a secretária tem vivido nos últimos meses frente a onda de criticas que tem sofrido.

Politizando a questão - Na abertura da coletiva, Dra. Ana Paula destacou que a Saúde na cidade enfrentava uma situação de caos e que foi necessário agir assim para transformar o sistema na cidade. Ela destacou que Santo André tem 63 equipamentos de Saúde diversos e que ninguém ficou sem atendimento.

Todos os integrantes da mesa falaram sobre os trabalhos que estão realizando, fazendo questão de afirmar a cada momento que o Qualisaúde não é apenas uma iniciativa de fechamento de Postos de Saúde. As criticas a oposição também tiveram lugar sempre remetendo a vitória de Paulo Serra nas eleições do ano passado. "Apesar de haver ai um movimento da oposição que é contra esse programa de qualidade, que é contra a mudança, é contra o novo a gente precisa afirmar que essas pessoas vão ter que se desculpar com a gente, porque logo em breve tudo isso vai ser reinaugurado no sistema Qualisaude, no padrão Qualisaude, e a gente vai ter um novo padrão de Saúde para Santo André", disparou a secretária de Saúde.

Na sequência Dra. Ana Paula destacou o atendimento a vontade popular dos eleitores de Serra, como motivação para o trabalho. "Os eleitores  do Paulinho, e a gente teve quase 80% de aprovação das urnas, e o recado que isso nos deu é  que as pessoas querem o novo, as pessoas querem uma mudança e o sistema de saúde fosse o que mais precisava mudar. Então foi uma atitude muito corajosa  de todo esse governo, do nosso prefeito, dos  secretários que estão aqui quando a gente resolveu iniciar esse programa de revitalização", justificando as medidas do Qualisaúde.

Impacto - Entre as explicações e respostas aos repórteres na coletiva a secretária de Saúde foi questionada sobre a possibilidade de a Prefeitura ter realizado o fechamento paulatino das unidades, fato que poderia ter trazido impacto menor ao tema. Dra. Ana Paula esclareceu que houve a opção pelo fechamento dos sete equipamentos para garantir grande impacto para a administração. "Optamos por fazer dessa maneira por entender que, como a gente conseguiu planejar de uma forma bem pensada, a gente garantiu dessa maneira que nenhum usuário ficou sem atendimento. A gente queria ter um projeto Qualisaúde que tivesse um impacto e fechou sete de uma vez, porque a gente queria algo que mudasse a cara da Saúde de Santo André. Se eu fizesse em um equipamento, dos 63 equipamentos que eu tenho, eu teria um impacto muito  pequeno. Então a gente optou por fazer de uma forma muito responsável, muito consciente sete intervenções de uma vez", ressaltou.

Já o secretário de Manutenção e Serviços Urbanos, Luiz Zacarias, explicou que a decisão de fechar as unidades gera economia na hora de comprar o material para as obras. "Quando você compra material para reformar uma unidade apenas, você paga mais caro. A compra em maior quantidade torna o investimento nos materiais mais barato", explicou.

Investimentos - A gestão tucana pretende aportar para as obras até R$ 4 milhões, incluindo reformas físicas. Zacarias destacou que os serviços já começaram e podem ser visto por quem visitar a UPA Jardim Santo André e a Unidade do Bom Pastor. Na coletiva foram apresentados ainda as plantas das reformas, todas já definidas e o cronograma de obras com custos.




Deixe seu comentário!

ATENÇÃO: Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

Parceiros
Jornal Divulgação Exata - (11) 2897-5833 - redacao@jornalexata.com.br
Copyright (c) 2017 - Jornal Divulgação Exata - Todos os direitos reservados