Política
Publicada em 13/09/17 as 19:27h - 36 visualizações
Juiz Sergio Moro ouve Lula pela segunda vez como réu
Ex-presidente pode ser condenado mais uma vez por corrupção

Montero Netto


 (Foto: Divulgação )

Terminou na tarde desta quarta-feira (13) o depoimento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) na Justiça Federal de Curitiba. Lula foi ouvido pelo juiz Sérgio Moro que já o condenou em 1instancia por atos de corrupção.

Desta vez o tema do depoimento foram as declarações do seu ex-minisitro, homem  de confiança de seu governo, Antonio Palocci. Lula afirmou que seu amigo pessoal (Palocci)  "mentiu" em depoimento. "Eu vi o Palocci mentir aqui", afirmou. Lula chamou o ex-ministro de "calculista e frio" e disse que Palocci só citou seu nome para reduzir alguns anos de condenação. "Fiquei com pena disso".

Na ação, Lula é acusado de receber propina da empreiteira Odebrecht por meio da compra de um terreno para a nova sede do Instituto Lula e de um apartamento vizinho ao que mora em São Bernardo.

Sem cerimônias Lula disse ainda que não solicitou a compra do apartamento vizinho ao dele em São Bernardo; que visitou o terreno objeto da denúncia uma vez e que o achou inadequado; que as três denúncias apresentadas contra ele pela força-tarefa da Lava Jato são "ilações"

 

Palocci abriu o bico - Interrogado por Moro, o ex homem de confiança de Lula, que participou do chamado Núcleo Duro de Governo, ao lado de outras figuras como José Dirceu e José Genoíno, ambos condenados no Mensalão do PT, Palocci afirmou que Lula tinha um "pacto de sangue" com o dono da empreiteira Odebrecht, que incluia um "pacote de propinas" para o ex-presidente no valor de R$ 300 milhões.

Em seu depoimento, que durou 2h10, Lula afirmou que a delação de Palocci é focada nele numa tentativa de redução de pena. "Palocci tem o direito de querer ser livre, tem o direito de querer ficar com um pouco do dinheiro que ele ganhou fazendo palestra, ele tem família, tudo isso eu acho. O que não pode é, se você não quer assumir a tua responsabilidade pelos fatos ilícitos que você fez, não jogue em cima dos outros", afirmou.

Lula disse ainda que o ex-ministro é "um simulador" e um "calculista. "Eu vi atentamente o depoimento do Palocci. Uma coisa quase que cinematográfica, quase feita por roteirista da Globo, sabe?", disse Lula. "Conheço o Palocci bem. O Palocci, se não fosse ser humano, seria um simulador. Ele é tão esperto que é capaz de simular uma mentira mais verdadeira que a verdade. O Palocci é médico, calculista, é frio", afirmou.

Moro, então, perguntou se nada do que o ex-ministro disse é verdadeiro. "Nada é verdadeiro", respondeu Lula. "A única coisa que tem de verdade ali é ele dizer que está fazendo a delação porque quer os benefícios da delação. Ou quem sabe ele queira um pouco do dinheiro que vocês bloquearam dele", afirmou.

 

Acusação - Esta é a segunda vez que Lula presta depoimento como réu em um processo da Lava Jato conduzido por Moro. A acusação é sobre um suposto pagamento de propina por parte da construtora Odebrecht.

Segundo a denúncia, a empresa comprou um terreno para a construção de uma nova sede para o Instituto Lula. A empreiteira também teria comprado um apartamento vizinho ao que o ex-presidente mora, em São Bernardo. O imóvel é alugado desde 2002 e abriga, principalmente, os seguranças que fazem a escolta de Lula.

No caso anterior, quando Lula foi ouvido por Moro pela primeira vez como réu, ele era acusado de receber R$ 3,7 milhões em propina, de forma dissimulada, da empreiteira OAS. Em troca, ela seria beneficiada em contratos com a Petrobras. O ex-presidente acabou condenado naquela ação penal a nove anos e meio de prisão.

Outro réu, o ex-assessor do ex-ministro Antonio Palocci, Branislav Kontic, foi interrogado logo depois de Lula.




Deixe seu comentário!

ATENÇÃO: Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

Parceiros
Jornal Divulgação Exata - (11) 2897-5833 - redacao@jornalexata.com.br
Copyright (c) 2017 - Jornal Divulgação Exata - Todos os direitos reservados