Política
Publicada em 18/04/16 as 16:21h - 182 visualizações
Processo de Impeachment de Dilma Rousseff chega ao Senado

Rafael Madjarof


 (Foto: Divulgação)

Após a aprovação do processo de impeachment pela Câmara dos Deputados, será a vez do Senado julgar se abre ou não o processo da abertura de impeachment. O processo de impeachment que irá para o senado foi protocolado pelo presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), junto ao presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL).

O senado votará em formato de maioria única se concordam ou não com a abertura do processo de impeachment. Ou seja para o processo avançar, 41 dos 81 senadores precisarão ser favoráveis a abertura do impeachment.

Se ocorrer a abertura, Dilma se afastará do cargo durante seis meses (180 dias). Iniciar-se-á, a discussão e análise da denúncia, com apresentações da acusação e da defesa, sob a tutela do presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), Ricardo Lewandowski.

Dilma poderá perder o cargo de maneira definitiva, se dois terços do Senado (54 dos 81 senadores) julgarem que ela cometeu crime. Com a queda de Dilma, o vice-presidente da República, Michel Temer (PMDB), assume, tendo a  missão de cumprir o mandato restante até o fim, no dia 31 de dezembro de 2018.




Deixe seu comentário!

ATENÇÃO: Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

Parceiros
Jornal Divulgação Exata - (11) 2897-5833 - redacao@jornalexata.com.br
Copyright (c) 2017 - Jornal Divulgação Exata - Todos os direitos reservados