Esporte
Publicada em 22/08/16 as 14:46h - 120 visualizações
Brasil encerra as olimpíadas com sua melhor campanha na história

Rafael Madjarof


 (Foto: Divulgação)

No dia 21/08, se encerrou a 31ª edição dos Jogos Olímpicos da era Moderna, realizados no Rio de Janeiro. A cerimônia de encerramento aconteceu no Estádio do Maracanã, local onde havia sido realizada a cerimônia de abertura. O Brasil fez a sua melhor campanha nos jogos olímpicos terminando na décima terceira posição com 19 medalhas, sendo 7 de ouro, 6 de prata e 6 de bronze.

A seleção masculina de futebol se sagrou campeã após bater na final a seleção alemã nos pênaltis por 5 a 4, depois de empatar em 1 a 1 no tempo normal. O título representou a quebra da última barreira que era conquistar o ouro olímpico, que era o único título que faltava na extensa galeria de troféus da seleção brasileira.  

O vôlei masculino, quebrou o longo jejum de 12 anos, se sagrando tricampeão olímpico, a vitima da vez foi novamente a Itália como em 2004. O time de Bernardinho se vingou da derrota imposta pelos italianos na fase de grupos, e venceu por 3 sets a 0, com parciais de 25-22,26-24 e 28-26.

A dupla de voleibol de praia Bruno Schmidt e Alisson Cerutti, confirmou o favoritismo e conquistou a medalha de ouro em cima dos Italianos Paolo Nicolai e Daniele Lupo, a final foi vencida por 2 sets a 0, com parciais de 21-19 e 21-17. Na vela na prova da classe 49erFX feminino, a dupla Martine Grael e Kahena Kunze conquistaram ouro ao derrotar as neozelandesas Alexandra Maloney e Molly Meech.

O boxe brasileiro foi para o lugar mais alto do pódio na categoria peso leve masculino, isso graças a Robson Conceição que bateu na final o francês Soufiane Oumiha.  No atletismo o brasileiro Thiago Braz foi ouro no salto com vara, e agora é o detentor do recorde olímpico com incríveis 6m03.

Superação

A primeira medalha de ouro da sequência de sete ouros veio de uma maneira muito especial, a protagonista dessa história passou por muitas dificuldades, vinda da Cidade de Deus, começou a se destacar no mundo do judô, superou a discriminação racial sofrida nos jogos de Londres, mas não se abateu, perseguiu seu sonho até conquistar no seu país a tão sonhada medalha dourada olímpica. Na final Rafaela Silva se sagrou campeã do judô até 57kg, ao superar a mongolita Dorjsürengiin Sumiyaa.




Deixe seu comentário!

ATENÇÃO: Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

Evolução e Mulher Determinada
Parceiros
Jornal Divulgação Exata - (11) 9 7240-3561 / (11) 9 6012-4549 - redacao@jornalexata.com.br
Copyright (c) 2017 - Jornal Divulgação Exata - Todos os direitos reservados