Cidades
Publicada em 12/04/16 as 13:46h - 206 visualizações
Consórcio fará acompanhamento regional da H1N1
Entidade reafirma capacidade de vacinação nos serviços municipais do ABC

Da Redação


 (Foto: Divulgação)

A exemplo do trabalho regional desenvolvido para o combate ao mosquito da dengue, o Consórcio Intermunicipal Grande ABC vai criar uma Sala de Situação para acompanhar os casos de gripe tipo A, causada pelo vírus H1N1. Nesta terça-feira (12) acontecerá a primeira reunião do Grupo de Trabalho Saúde com esta pauta, quando representantes das sete cidades deverão compartilhar informações sobre o planejamento de cada município para enfrentar a temporada antecipada de risco para a doença.

O presidente do Consórcio e prefeito de São Bernardo do Campo, Luiz Marinho, afirmou, durante a assembleia mensal de prefeitos, realizada hoje (11), que é preciso estabelecer um debate de alerta e orientação. "Assim como ocorreu com a dengue, precisamos buscar a conscientização da população para evitar o agravamento da situação", disse. A assembleia de prefeitos autorizou o grupo a iniciar estudos para uma campanha de divulgação conjunta com os governos estadual e federal. No entanto, diferentemente do que vem ocorrendo no combate à dengue, com ações regionais que incluem reforço de equipes e mutirões nas divisas, o enfrentamento ao H1N1 requer primeiro que cada município desenvolva ações internas.

Segundo o coordenador do GT e secretário de Saúde de Santo André, Homero Nepomuceno Duarte, cada cidade está preparando um plano de contingência próprio para controle dos casos e atendimento dos pacientes mais graves, em que há necessidade de internação e leitos de UTI. "O que será discutido regionalmente é uma campanha de esclarecimento, a melhoria das retaguardas de UTI e, eventualmente, de reforço no sentido de socorrer situações emergenciais de assistência. Lembrando que hoje, todas as cidades já têm uma dificuldade na rede atual de atendimento, o que será monitorado para auxiliar na solução desses problemas", destacou Homero Duarte.  

"Nós iniciamos hoje uma campanha de vacinação que vai até o dia 30, e já havia grandes filas nas unidades desde a madrugada. É preciso esclarecer os moradores que essa corrida não é necessária porque não vai faltar vacina. Os estoques são suficientes para o público alvo da campanha", disse o coordenador do GT. Além disso, segundo Homero Duarte, dos 313 casos já notificados nas sete cidades, os cinco óbitos registrados por H1N1 na região, envolviam pessoas com graves problemas de Saúde.

Encerrada a vacinação para os grupos de maior risco, como crianças de seis meses a cinco anos, idosos e doentes crônicos, a vacinação deverá ser estendida. "Possivelmente, como aconteceu no ano passado, devemos ampliar o público para a vacina, mas precisamos aguardar as orientações do Ministério da Saúde para definição das faixas etárias". Outro problema em que a campanha deve focar é o uso incorreto do antibiótico Tamiflu, indicado para os casos de H1N1: "Ele deve ser usado nas primeiras 72 horas do aparecimento dos sintomas da gripe. Não é um remédio preventivo, ele age na diminuição da replicação do vírus. Temos feito uma campanha para orientar também os médicos para prescreverem corretamente esse medicamento", reforçou.

Dengue

O coordenador do GT Saúde apresentou aos prefeitos um balanço da Campanha Regional de Combate ao Mosquito da Dengue, lançada oficialmente em dezembro do ano passado e também acompanhada por uma Sala de Situação que se reúne semanalmente. O total de casos suspeitos até a décima semana epidemiológica (12 de março) recuou 11% no último levantamento em relação ao ano passado, com 4.952 notificações contra 5.559 ocorrências de 2015.

"Temos tido uma estabilidade no número de notificações de casos suspeitos e, mesmo com atraso de inserções de alguns municípios no sistema, o registro de casos não é muito distante do apurado no ano passado. Isso nos leva a crer que não tivemos nenhum tipo de explosão de casos, a despeito do que ocorreu  em outras regiões", disse Homero Nepomuceno Duarte, atribuindo o resultado a campanhas de esclarecimento e à mobilização regional. "O trabalho tem sido bastante satisfatório, com bons resultados e ações efetivas junto à população,  que também tem se mostrado mais parceira dos agentes. Aumentamos o número de equipes nos munícipios e no combate aos focos da dengue".

O coordenador do GT destacou a importância da próxima ação conjunta marcada para o dia 7 de maio na região de divisa de Diadema (Campanário), São Bernardo do Campo (Taboão) e São Paulo (Vila Liviero). Inicialmente prevista para o dia 30, a ação foi adiada em razão da campanha nacional de vacinação da H1N1. Ao mesmo tempo, a Sala de Situação permanecerá ativa durante todo este ano para preparar as ações do próximo verão. 




Deixe seu comentário!

ATENÇÃO: Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

Evolução e Mulher Determinada
Parceiros
Jornal Divulgação Exata - (11) 9 7240-3561 / (11) 9 6012-4549 - redacao@jornalexata.com.br
Copyright (c) 2017 - Jornal Divulgação Exata - Todos os direitos reservados