Cidades
Publicada em 22/01/16 as 15:34h - 298 visualizações
Região do ABC elimina 43mil postos de emprego, segundo Caged

Da Redação


 (Foto: Divulgação)

As empresas da região do Grande ABC eliminaram 43.614 postos de trabalho com carteira assinada em 2015. Os dados são do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) e foram divulgados no dia 21/01 pelo Ministério do Trabalho e Previdência Social. O saldo é o triplo relacionado ao do ano anterior e é o mais baixo desde pelo menos 2004.

A situação do emprego formal na região é ainda mais alarmante se forem levados em conta os resultados de 2014, quando já houve saldo negativo, de 14.369 vagas. Portanto, em dois anos foram contabilizadas 57.983 demissões. O volume é maior do que toda a população de Rio Grande da Serra. Para que se tenha ideia da gravidade da crise, entre 2004 e 2013 as empresas do Grande ABC efetuaram 270.795 contratações de pessoas com carteira assinada. O último biênio representou fechamento de 21,4% dos postos que haviam sido abertos.

Todos os meses de 2015 registraram saldo negativo, sendo que o pior deles foi em dezembro, com deficit de 8.988 vagas. O professor Sandro Maskio, coordenador do Observatório Econômico da Universidade Metodista cita que o desaquecimento é provocado, entre outros fatores, pelo ajuste fiscal feito pelo governo federal para tentar equilibrar as contas públicas no acumulado de 12 meses até novembro, o deficit primário divulgado pelo Banco Central foi de R$ 52,4 bilhões, equivalente a 0,89% do PIB (Produto Interno Bruto).

O especialista acrescenta que os juros elevados no País (a taxa básica, a Selic, está em 14,25% ao ano) também é um fator que desestimula a atividade produtiva, já que os fundos de investimento apresentam boa rentabilidade, enquanto a produção tende a gerar retorno inferior, em razão da queda na demanda.

Sem perspectiva de melhoras, o economista Ricardo Balistiero, coordenador do curso de Administração do Instituto Mauá de Tecnologia, avalia que as demissões devem continuar em ritmo acelerado neste semestre. Em Davos, na Suíça, durante o Fórum Econômico Mundial, o ministro Barbosa disse a investidores que o Brasil está em "processo de reequilíbrio macroeconômico", e que o País oferece "boas oportunidades em infraestrutura e outras áreas".

Dados Nacionais - Em todo o Brasil, foram fechados 1,542 milhão de postos formais de trabalho em 2015, o pior resultado desde 1992, ano em que o ex-presidente Fernando Collor de Mello sofreu o impeachment. Em dezembro, o saldo também foi negativo, com 596,2 mil cortes. Apesar dos recordes, o Ministério do Trabalho fez questão de destacar que o estoque de empregos, de 39,6 milhões, é o terceiro maior da série histórica do Caged.




Deixe seu comentário!

ATENÇÃO: Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

Parceiros
Jornal Divulgação Exata - (11) 2897-5833 - redacao@jornalexata.com.br
Copyright (c) 2017 - Jornal Divulgação Exata - Todos os direitos reservados