Quarta-feira, 18 de Julho de 2018

São Bernardo do Campo
Publicada em 29/01/18 às 12:45h
Moradores de São Bernardo aprovam retomada da construção do viaduto Castelo Branco
Obra já muda cenário de vias no Jardim dos Pássaros e dá nova perspectiva a moradores do entorno

Carla de Gragnani


 (Foto: Gabriel Inamine/PMSBC)
Após dois anos de abandono, a construção do viaduto Castelo Branco, no bairro Alves Dias, teve sua retomada autorizada pelo prefeito de São Bernardo, Orlando Morando, em janeiro passado, levando nova perspectiva a moradores do entorno da obra. O elevado integra o projeto do corredor Leste-Oeste, que prevê a conexão de duas regiões adensadas da cidade, desde a Praça dos Bombeiros, na região do Bairro Ferrazópolis, às proximidades da Rodovia dos Imigrantes, na divisa com Diadema.

Moradora do bairro há 13 anos, a aposentada Eliete Gomes dos Santos, de 64 anos, está otimista com a construção, que já começou a mudar o cenário do entorno de sua casa. Isso porque, as vigas metálicas que antes causavam transtornos e insegurança a motoristas e pedestres que circulam diariamente na Avenida José Odorzzi, já começaram a ser removidas e transferidas para início da intervenção. A retirada das estruturas está sendo realizada no período noturno, para evitar problemas no tráfego.

"Agora tudo vai melhorar, principalmente a nossa mobilidade. Com a continuidade desta obra os imóveis vão valorizar e os moradores passarão a ter mais segurança também. Espero que a obra tenha prosseguimento e termine logo, porque nós já sofremos demais com esta paralisação", comemorou Eliete. A previsão é que este trecho do projeto seja concluído até agosto deste ano.

A retomada da obra compreende investimento na ordem de R$ 36 milhões. O plano é construir aproximadamente 250 metros de extensão em cada uma das duas pistas da Avenida Humberto de Alencar Castelo Branco, com a Estrada Samuel Aizemberg, e destino à Avenida José Odorizzi. Cerca de 200 operários atuam no canteiro de obras. 

"A retomada destas obras é muito importante. Faz pelo menos dois anos que a construção começou e até agora nada. Do jeito que estava não pode ficar. Agora, meu comércio também vai melhorar, porque vai ter mais fluxo de gente e com certeza vai ficar mais bonito. É um absurdo abandonar uma obra desta forma e deixar os moradores nesta situação", disse Armando José da Costa, de 65 anos, dono de banca de revistas situada na Avenida José Odorizzi. 

O escopo do projeto prevê ainda a duplicação da Rua dos Flamingos e conclusão do viaduto que liga a Avenida José Odorizzi e a Scania, otimizando a passagem de motoristas em aproximadamente 30 minutos. "Esta obra demorou demais. Tiraram árvores, montaram um muro e abandonaram. Essa área virou um lixo, com pista danificada e cheia de água parada. Quem sofre as conseqüências deste abandono somos nós moradores. Espero que tenha andamento rápido, porque do jeito que está não dá para ficar", destacou Boanéges Raposo Tavares, 62 anos, aposentado e morador da área há 33 anos.

Para dar conta das mudanças, a secretaria de Transportes e Vias Públicas já deu início a alterações no viário da região. A Estrada Samuel Aizemberg passa a ter sentido único (Imigrantes), entre as Avenidas Castelo Branco à Rua Guimarães Rosa. A mudança terá duração de 60 dias.




Deixe seu comentário!

ATENÇÃO: Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

Parceiros
Jornal Divulgação Exata - (11) 2897-5833 - redacao@jornalexata.com.br
Copyright (c) 2018 - Jornal Divulgação Exata - Todos os direitos reservados