São Bernardo do Campo
Publicada em 17/07/17 as 17:18h - 51 visualizações
Em São Bernardo, Prefeitura confirma retomada de projeto de Urbanização e Moradia no Grande Alvarenga
Prefeito Orlando Morando comunicou diretamente aos moradores; ação foi abandonada durante antiga gestão

Redação


 (Foto: Divulgação)

Em mais um compromisso de retomar projetos abandonados e paralisados na cidade, a Prefeitura de São Bernardo confirmou a retomada das obras de urbanização integrada e implementação de moradia no Grande Alvarenga, que vai beneficiar os moradores do Sítio Bom Jesus, Divinéia, Alvarenga Peixoto, Pantanal 1 e 2.

Os serviços naquela região foram iniciados em 2010, pela antiga gestão, com a promessa de 98 moradias, além da urbanização. As intervenções contavam com investimentos na ordem de R$ 14,4 milhões. Passados sete anos, há apenas poucos apartamentos prontos e um drama entre os moradores.

Em vistoria ao local, o prefeito Orlando Morando e o secretário de Habitação, João Abukater, anunciaram a rescisão de contrato com a construtora H.Guedes, responsável pela execução dos serviços, mas que há dois anos abandonou o projeto. São 98 moradias (38 casas e 60 apartamentos), além das manutenções urbanas.


"De imediato, asseguramos o rompimento com a empresa e o início do processo para contratação de outra. Faremos uma frente de trabalho para que o projeto caminhe de maneira intensa para a conclusão de moradia e urbanização", argumentou o chefe do Executivo, detalhando que nos próximos meses deve ser concluído um novo processo licitatório, prevendo que a conclusão ocorra em 12 meses.


Cerca de 40 moradores acompanharam o pronunciamento de Morando, que ocorreu na Rua dos Feltrins, um dos pontos a receber as melhorias. O encontro durou cerca de uma hora e meia e muitas dúvidas foram sanadas.


"O que conseguimos esclarecer é da possibilidade de retomada, por são recursos da Caixa Econômica Federal. Então, a tramitação será pelos processos de rescisão e de contratação", complementou o prefeito.


De forma técnica, Abukater endossou o tom de celeridade para retomada e conclusão das intervenções. "É um projeto que precisa ser intensificado e fiscalizado durante o seu andamento. São ações que se complementam e que podem ser feitas em conjunto".


Repercussão - A confirmação dos serviços na região foi recebida com alegria pelos moradores locais, que relataram situação de drama, desde 2015.

"Gostei da reunião, pois conseguimos tirar todas as dúvidas sobre o projeto e qual será o andamento. A nossa maior preocupação com as pessoas que vêm até aqui e constroem sem autorização. Fica complicado. Para que  o projeto seja ainda melhor, seria interessante se tivesse uma área de lazer para as crianças. Tem muita criança que fica na rua e não tem onde brincar", comentou a analista de Recursos Humanos e moradora da região, Fernanda Almeida, 31 anos.

"Morava num dos terrenos que foi desapropriado para a urbanização do bairro e hoje estou pagando aluguel no Jardim do Lago. Já tinha perdido a esperança de ter a minha casa própria. A reunião com o prefeito renovou as minhas esperanças", afirmou a aposentada Maria da Conceição Ferreira dos Santos, 75 anos.





Deixe seu comentário!

ATENÇÃO: Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

Parceiros
Jornal Divulgação Exata - (11) 2897-5833 - redacao@jornalexata.com.br
Copyright (c) 2017 - Jornal Divulgação Exata - Todos os direitos reservados