São Bernardo do Campo
Publicada em 26/11/15 as 14:17h - 176 visualizações
No HMU, cuidado humanizado permite alta precoce e segura do bebê prematuro

Da Redação


 (Foto: Divulgação)

Quem vê a pequena Arabella quietinha na incubadora não imagina quanto o período em que passa dormindo é precioso para seu desenvolvimento. Arabella nasceu em 8 de agosto no Hospital Municipal Universitário (HMU) de São Bernardo, com 890 gramas e 34 centímetros, na 26ª semana de gestação. Quando completou dois meses de vida na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Neonatal, sua mãe pôde pegá-la no colo pela primeira vez. "Tinha medo de segurá-la, e ao mesmo tempo era o que mais queria. Foi um período muito difícil. Ela ficou entubada e eu não sabia se minha filha iria sobreviver", conta a mãe, Eloísa Rodrigues de Souza.

Hoje Arabella está na Unidade de Cuidados Intermediários (UCI) e pesa 1,5 quilo. Segundo a equipe médica, ao alcançar 1.700 gramas a menina poderá ir para casaA alta precoce e segura de bebês prematuros é possível graças às estratégias do Método Canguru, que fazem do HMU referência em cuidado humanizado.

Incentivar que o bebê permaneça em contato pele a pele com a mãe -- o que ajuda o prematuro a manter a temperatura do corpo e a desenvolver a autonomia respiratória - é apenas uma das técnicas do Método Canguru. O hospital ampliou suas práticas para promover o relaxamento, alívio da dor, estimular o aleitamento materno e o ganho de peso daqueles que nasceram antes da 37ª semana de gestação.

Uma das práticas é a hidroterapia, na qual o bebê permanece de 10 a 12 minutos imerso em um recipiente que limita os movimentos, como um balde, por exemplo. O contato com a água morna, em temperatura de 37°C, relaxa o corpinho do recém-nascido e permite que ele durma e se alimente melhor

O banho de imersão é dado pelas enfermeiras em crianças a partir de 1,5 quilo, que respirem sozinhas e não tenham acesso intravenoso. As mães ficam o tempo todo do lado, e logo aprendem a técnica.

Outro recurso bastante utilizado é a rede, instalada dentro da incubadora. A técnica permite que o bebê se aconchegue em posição fisiológica, semelhante ao modo em que permanecia no útero materno, o que possibilita o desenvolvimento neurológico e psicomotor. Também fazem parte da rotina dos prematuros as músicas instrumentais, que relaxam mãe e bebê e embalam o sono, o banho e os momentos dedicados à amamentação.




Deixe seu comentário!

ATENÇÃO: Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

Parceiros
Jornal Divulgação Exata - (11) 2897-5833 - redacao@jornalexata.com.br
Copyright (c) 2017 - Jornal Divulgação Exata - Todos os direitos reservados